Páginas

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Dia Mundial da Anta

Dia 27 de abril, é comemorado o Dia Mundial da Anta. A espécie, de nome científico Tapirus terrestris, é o maior mamífero terrestre brasileiro, chegando a medir mais de dois metros de comprimento, mais de um metro de altura e podendo pesar até 250 kg. 


BELO HORIZONTE (MG) BRASIL - Anta, seu nome popular é usado como sinônimo de estupidez, ou seja, um "xingamento". Mas, na verdade, esse animal não tem nada de estúpido. É dócil, inteligente e importante para as florestas, pois, ao se alimentar de uma grande variedade de frutos, acaba contribuindo para a dispersão das sementes e para a manutenção da biodiversidade dos biomas onde vive – Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal.
Atualmente, de acordo com as Listas Vermelhas de Espécies Ameaçadas de Extinção (IUCN, 2008 e ICMBio, 2014), essa espécie é classificada como “vulnerável”.

No Zoológico da Fundação Zoo-Botânica de BH existem quatro indivíduos dessa espécie, sendo 1 fêmea e 3 machos. No momento, somente a fêmea pode ser vista pelo público, pois os machos estão em recintos separados no Setor Extra da Seção de Mamíferos.

Quem são eles?

“Estrela”: nasceu na FZB-BH em 12 de junho de 1992; 
“Vadinho”: chegou à FZB-BH em 01 de julho de 2003, vindo de um criadouro conservacionista localizado em Poços de Caldas, MG;

“Porã”: nasceu na FZB-BH em 18 de setembro de 2006.  Seu nome, de origem indígena, significa belo, bonito;

"Piá”: nasceu na FZB-BH em 16 de setembro de 2013. É filho de “Estrela” e “Vadinho”. Seu nome, de origem indígena, significa menino, garoto, guri.

cultura afro-brasileira nas escolas

Kits vão promover reflexão sobre cultura afro-brasileira nas escolas

Discutir a cultura afro-brasileira, promover a igualdade, combater as diversas formas de preconceito e despertar a consciência sobre a questão racial em escolas públicas do País. 

Com esse objetivo, a Fundação Cultural Palmares, por meio do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra (CNIRC), vai distribuir milhares de kits do projeto Conhecendo a Nossa História: Da África ao Brasil, que reúne o livro O que Você Sabe sobre a África?, que narra a trajetória do povo afro-brasileiro, e uma revista de palavras cruzadas Passatempo. 

A iniciativa resulta de parceria entre a Fundação Palmares, instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), e o Ministério da Educação (MEC). Em um primeiro momento, em projeto-piloto, 17 cidades das cinco regiões receberão 30 mil kits. A distribuição começa nesta quinta-feira, das 8h às 17h, em escolas da Serra da Barriga, em União de Palmares (AL). 

Além da Serra da Barriga, o piloto será implantado em escolas de Salvador e Santo Amaro da Purificação, na Bahia; Maceió, em Alagoas; Macapá e Curiaú, no Amapá; Belém, no Pará; Rio de Janeiro e Paraty, no estado do Rio de Janeiro; Belo Horizonte e Contagem, em Minas Gerais; Porto Alegre e Pelotas, no Rio Grande do Sul; Florianópolis, em Santa Catarina; Campo Grande, em Mato Grosso do Sul; e Gama e Ceilândia, no Distrito Federal. Cada cidade vai receber pelo menos mil kits com o livro e a revista de palavras cruzadas. 

Entre os critérios para selecionar as escolas participantes destacam-se a localização em área quilombola, ser de educação quilombola e do Ensino Fundamental.

Quer aprender um novo idioma?

Quer aprender um novo idioma? O Acessa SP conta com o minicurso online gratuito para quem quer aprender a falar italiano. As aulas são rápidas e divididas em três ou cinco lições.


Para facilitar a fixação do aprendizado, um questionário com até cinco perguntas é respondido no final de cada lição. Ao concluir o módulo, o usuário tem acesso ao atestado de conclusão emitido pela Escola do Futuro da USP, parceira institucional do Acessa São Paulo. São oito conteúdos disponíveis: inglês, alemão, francês, japonês, espanhol, russo, chinês e italiano, que podem ser acessados no portal do programa.
Mais de 6,5 mil pessoas já concluíram os minicursos de idiomas. O mais acessado é o “Se vira no Inglês”. E mais de 125 pessoas já concluíram um dos mais recentes minicursos do programa, o “Se Vira no Chinês”, que traz dicas básicas de conversação e gramática no idioma.
Minicursos

O Acessa SP conta com 32 minicursos. Além dos de idiomas e relacionados ao turismo, o usuário pode fazer cursos relacionados as áreas de empreendedorismo, saúde e comunicação.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Morre jornalista Carlos Chagas

Jornalista Carlos Chagas, morre aos 79 anos, nesta quarta-feira (26/4), em Brasília. Chagas foi um dos nomes mais expressivos do jornalismo brasileiro e professor da Universidade de Brasília (UnB) durante 25 anos. 

Ao longo de sua carreira, passou por grandes veículos de comunicação, como O Estado de S. Paulo, O Globo, SBT, Manchete, RedeTV, CNT, entre outros.

No período da ditadura militar, Carlos Chagas foi assessor de imprensa da Pre¬si¬dência da República no governo do general Costa e Silva, e dessa experiência nasceu o livro "A Ditadura Militar e os Golpes Dentro do Golpe: 1964-1969".

Chagas também era formado em Direito pela PUC-RJ. Nascido em Três Pontas, em Minas Gerais, e morador de Brasília, o jornalista iria completar 80 anos no próximo dia 20 de maio. 

O ministro da Cultura, Roberto Freire, manifesta sinceros sentimentos de pesar à família, amigos, ex-alunos e colegas de Chagas. O ministro da Cultura, Roberto Freire, emitiu nota de pesar pelo falecimento deste grande colega.  (Francisco Martins). 

terça-feira, 25 de abril de 2017

Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus

O Programa Ibermuseus lançou nesta terça-feira (25) a 8ª edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus. Promovido anualmente desde 2010, o prêmio tem o objetivo de identificar, destacar e fortalecer a capacidade educativa dos museus, levando em conta a pluralidade das práticas museológicas ibero-americanas. 


O prazo para a apresentação das propostas é de 25 de abril a 25 de maio de 2017, por meio da página do Ibermuseus. Podem participar do edital museus, instituições culturais ou educativas dos 22 países que compõem a Comunidade Ibero-americana, vinculados à administração pública, ou instituições particulares sem fins lucrativos que atuem nas áreas de educação e museus.

Categorias

O prêmio se divide em duas categorias: reconhecimento a projetos realizados ou em curso, no qual se premiarão práticas de ação educativa iniciadas no máximo um ano antes da publicação do edital ou concluídas não mais de um ano antes da mesma publicação; e Fomento a novos projetos.
Serão premiados três projetos na categoria I e cinco na categoria II. O investimento total será de US$ 75 mil. Na categoria I, o primeiro lugar receberá US$ 15 mil, o segundo, US$ 7 mil, e o terceiro, US$ 3 mil. Na categoria II, os cinco contemplados receberão US$ 10 mil cada um.

Os projetos selecionados farão parte do Banco de Boas Práticas, como referência e modelo de ação para todas as instituições da Ibero-América.

Teatro: Ícaro em nova temporada

Já estão à venda ingressos para espetáculo"Ícaro", que reestreia dia 19 de maio no Instituto Ling, em Porto Alegre. 

Ator Luciano Mallmann - Foto: Fernanda Chemale 
Após uma temporada de estreia com sessões lotadas e sucesso de crítica, Ícaro retorna em cartaz no Instituto Ling no dia 19 de maio. Dirigida por Liane Venturella, a montagem já é considerada um dos destaques do ano em Porto Alegre e chama a atenção pela proposta singular: um monólogo criado e interpretado por um ator paraplégico. As histórias abordam temas universais e garantem a identificação direta com o público.

Ícaro mistura ficção e realidade. Luciano Mallmann interpreta depoimentos ficcionais de cadeirantes - homens e mulheres. O ator mesclou experiências pessoais com relatos de pessoas que tiveram lesões medulares. Em 2004, ele ficou paraplégico após uma queda durante um exercício de acrobacia área em tecido, no Rio de Janeiro.

Não há cenário, nem marcações bruscas. A peça intimista valoriza a interpretação e surpreende pela forma como o ator explora o corpo durante as cenas. A precisão dos movimentos foi um elemento fundamental para expressar as limitações físicas de cada personagem. Aí surgem em cena a modelo, o lutador, a mãe, o ator, o acrobata. Durante todo o tempo, o intérprete dialoga com o público sobre preconceito, resiliência, relações entre pais e filhos, relações amorosas, suicídio e gravidez. Um mosaico sobre a diversidade humana. Por trás da deficiência, existe uma pessoa, que tem histórias. Isso é o mais importante e também o que provoca a identificação com a plateia. A peça desperta essa quebra de paradigma. Não adianta nada as pessoas com deficiência estarem integradas à sociedade, mas sempre serem vistas de forma diferente pelos outros - defende Luciano Mallmann. 

Não é a primeira vez que o ator sobe aos palcos depois que se tornou paraplégico. Em 2011, ele interpretou o protagonista de A Mulher Sem Pecado, de Nelson Rodrigues. Pela montagem, levou o Prêmio Açorianos de Melhor Produção. Em Ícaro, a iluminação de Fabrício Simões e a trilha sonora de Monica Tomasi sublimam o clima de cada uma das esquetes. O artista plástico Walmor Corrêa criou um obra que passou a ser a principal imagem do projeto gráfico.  Matéria Completa em Formas&Meios