Páginas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Morre ator de "Robocop" Miguel Ferrer

Morre ator de "Robocop" e "Investigação Criminal: Los Angeles" além de  RoboCop. Ele era filho do vencedor do Oscar de 1950, José Ferrer.

Miguel Ferrer especializou-se em papéis de vilão no cinema e televisão, mas passou depois para o lado certo da Lei. Miguel Ferrer morreu vítima de câncer esta quinta-feira, 19, aos 61 anos.

O ator interpretava Owen Granger, diretor assistente do NCIS, na popular série "Investigação Criminal: Los Angeles" desde 2012 e foi o chefe de Jill Hennessy na série "Crossing Jordan" entre 2001 e 2007. 

Foram dois raros papéis do lado da justiça para o filho mais velho de José Ferrer, que ganhou um Óscar em 1950 por "Cyrano de Bergerac" e da cantora Rosemary Clooney, e primo de George Clooney, que já lamentou o desaparecimento no mesmo dia da transição presidencial nos EUA.

A carreira de Miguel Ferrer começou com pequenas participações como convidado em séries e tornou-se conhecido principalmente por papéis de vilão ou, pelo menos, personagens menos escrupulosas.

A mais famosa de todas é, sem dúvida, a de Bob Morton, o ambicioso designer do RoboCop no filme de Paul Verhoven "Robocop - O Polícia do Futuro" (1987), mas também se pode juntar Shan Yu, líder dos Xiongnu, a que deu voz na animação "Mulan" (1998).

Na telona,  teve ainda papéis secundários em "Fórmula Secreta" (1983, Bruce Malmuth), "Heartbreaker" (1983, Frank Zuniga), "Star Trek III: A Aventura Continua" (1984, Leonard Nimoy), "O Anjo das Sombras" (1990, William Friedkin), "Vingança" (1990, Tony Scott), "Tráfico Humano" (1992, David Marconi, o único filme como protagonista), "A Assassina" e "Debaixo de Olho II" (1993, John Badham), "Ases pelos Ares 2" (1993, Jim Abrahams), "Traffic - Ninguém Sai Ileso" (2000, Steven Soderbergh) ou "O Candidato da Verdade" (2004, Jonathan Demme).

Mais filme do ator, ele entrou no universo cinematográfico da Marvel como vice-presidente dos EUA em "Homem de Ferro 3" (2013). (Francisco Martins \ sapo.pt). 

Morre ministro do STF Teori Zavascki

Morre ministro do STF Teori Zavascki,68 anos, em acidente aéreo no Rio de Janeiro. O presidente da República, Michel Temer, além de fazer homenagem ao ministro, decretou luto oficial por três dias. 

Queda de um bimotor nesta quinta-feira, 19, mata ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)  Teori Zavascki. O ministro estava  no litoral de Paraty/Rio de Janeiro, quando chovia muito forte na região no momento da queda da aeronave. O filho do ministro,  Francisco Prehn Zavascki , confirmou nas redes sociais que seu pai estava a bordo. 

Logo em seguida veio a confirmação pelo Corpo de Bombeiros: "o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki faleceu vítima do acidente aéreo em Paraty, no litoral sul do Rio, na tarde desta quinta (19). Ele deve ser velado no STF e será enterrado em Santa Catarina.

O aeroporto informou que o avião saiu de São Paulo e caiu a 2 km de distância da cabeceira da pista. De acordo com a FAB, quatro pessoas estavam a bordo. A assessoria de comunicação da Infraero confirmou ao G1 que a aeronave prefixo PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, decolou às 13h01 do Campo de Marte. A Anac informou que a aeronave estava com documentação em ordem até final de 2017. Morreram também Carlos Alberto Filgueiras, dono do Grupo Emiliano e Osmar Rodrigues, piloto do avião. 

Breve perfil

Filho de Severino Zavascki e Pia Maria Fontana Zavascki, Teori Albino Zavascki nasceu em 15  de agosto de 1948 na cidade de Faxinal dos Guedes, em Santa Catarina.

Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 1972 passou a integrar o TRF da 4ª região de 30/3/89 a 8/5/03, também foi juiz do TRE/RS de agosto de 1991 até agosto de 1995. Atuou no STJ de 2003 entre novembro de 2012, quando foi nomeado para a ministro do STF.

No Supremo ele presidiu a 2ª turma no biênio 2014 à 2015 onde destacou-se. A partir do ano de 2014, assumiu a relatoria dos processos relacionados à Lava Jato. (Francisco Martins). 

Estreia “Os Penetras 2 – Quem dá mais?

Protagonizada por Eduardo Sterblitch “Os Penetras 2 – Quem dá mais?”não decola

Em “Os Penetras 2 – Quem dá mais?”, sucesso de 2012, Beto (Eduardo Sterblitch) é o protagonista absoluto da película. Aguentar sua voz e seu jeitinho infantilizado,  durante o filme é teste de resistência para qualquer plateia. Porém, sem houvesse uma recompensa? Mas , não é lá grande coisa o que o público recebe em troca.

Humor totalmente sem graça,  um roteiro sem nexo a comédia de Andrucha Waddington *genro da Fernanda Montenegro) inicia com Beto e seu colega Marco (Marcelo Adnet) comemorando mais um golpe, quase perfeito. Mas, Marco foge e o protagonista fica tão triste que acaba internado numa clínica psiquiátrica. Depopis ele descobre que o amigo morreu. Aí, resolve ir à missa, de onde sai com as cinzas para jogar no mar.

Então, Beto acaba reunido novamente com o velho trambiqueiro Nelson (Stepan Nercessian), quando conhece Santiago (Danton Mello), um milionário que contrata os serviços de Laura (Mariana Ximenes) para acompanhá-lo a um leilão. 

A trama é pra lá de previsível e pode-se resumi=la a uma sucessão de piadas fracas, fracassadas.  O personagem Beto não é uma figura carismática (reflete o próprio Sterblitch) o suficiente para segurar um filme sozinho. A falta de um personagem com um cinismo ácido, para dar um contraponto à sua infantilidade irritante poderia salvar esta sequência , “Os Penetras 2” . A bem da verdade, nem mesmo a presença constante de Adnet salvaria este desastre. O elenco se encontra raramente, em algumas raras cenas. (Francisco Martins). 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Festival PercPan no Conservatório de Tatuí

O PercPan, maior festival brasileiro de música percussiva, se estende este ano para São Paulo, em Tatuí no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos.
Figura meramente ilustrativa

O festival, criado pela socióloga Elisabeth Cayres e que já passou por Rio de Janeiro, São Paulo e Recife e chegou a ter uma edição em Paris. Pela primeira vez, a iniciativa avança para o interior do estado de São Paulo, com atrações nacionais e internacional de forma a democratizar o acesso a cultura.

No Conservatório de Tatuí, o festival será realizado no dia 24 de janeiro (terça-feira), a partir das 20h00, no Teatro Procópio Ferreira. Na ocasião, apresenta-se, diretamente da África, mais precisamente da República Democrática do Congo, o grupo Staff Benda Bilili, formado por ex-moradores de rua. Em comum a mobilidade reduzida, muitos são cadeirantes, e uma sonoridade contagiante que vem encantando o mundo em um exemplo de superação.

Nessa noite, o PercPan ainda traz para o público o projeto “Movimento Elefantes”, um coletivo que reúne nove big bands de São Paulo (Banda Urbana, Projeto Coisa Fina, Projeto Meretrio 2, Big Band da Santa, Reteté Big Band, Grupo Comboio, Soundscape, Heart Breakers e Banda Jazzco) mostrando uma enorme e empolgante vitalidade da música instrumental brasileira, promovendo a fusão entre canção, música instrumental, jazz, baião, samba e maracatú. Com a proposta de mostrar ao público brasileiro uma combinação do que há de mais relevante no mundo da percussão, o PercPan é hoje referência no gênero.


SERVIÇO – 20º PERCPAN

Shows com República Democrática do Congo: Staff Benda Bilili e São Paulo, Brasil: Movimento Elefantes - Projeto Coisa Fina
Horário: a partir das 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira - Rua São Bento, 415 - Tatuí
Informações: (15) 3205-8444

Victor Moriyama 'Vidas Refugiadas'

A exposição fotográfica 'Vidas Refugiadas' abre nesta quinta-feira, 19, no Centro Cultural CCCEV. 


PORTO ALEGRE (RS) BRASIL - O projeto, com imagens de Victor Moriyama, propõe uma reflexão sobre gênero e refúgio no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil. Nesse trabalho, são reveladas as necessidades, os dilemas e as conquistas das pessoas retratadas, apresentando ao público uma oportunidade de reflexão sobre a integração das refugiadas à vida no Brasil.


Na exposição, a história da advogada Silvye, da República Democrática do Congo; da artista Arlice, do Burkina Faso; da professora de inglês, Nkechinyere Jonathan, da Nigéria; da cabeleireira Jeaneette, nacionalidade omitida; de Mayada, professora de francês da Síria; de Maria, jornalista de Cuba; da pedagoga de Mali, Aichata; e da estudante Vilma, de Angola. A iniciativa recebe o apoio de entidades, como Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados e Organização Internacional do trabalho.

A exposição ficará aberta ao público até o dia 4 de março, com entrada gratuita. O Centro Cultural CEEE Erico Verissimo recebe o público de terça à sexta, das 10h às 19h, e sábado, das 11h às 18h. 


Serviço  
O quê: Exposição fotográfica "Vidas Refugiadas"
Abertura: quinta-feira (19), às 19h
Visitação: Na sala O Retrato, até 4 de março de 2017, 
de terça à sexta-feira, das 10h às 19h, 
e no sábado, das 11 às 18h
Local: Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo 
na Rua dos Andradas, nº 1223, 
Centro Histórico de Porto Alegre

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Paraná: Ônibus de educação ambiental

Ônibus de educação ambiental presta mais de 650 atendimentos

Desde o início da temporada de verão, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está disponibilizando no Litoral um ônibus especialmente preparado para ensinar de maneira divertida sobre os cuidados com a água. É o EcoExpresso Sanepar, que já prestou mais de 650 atendimentos na praia. 

Até o dia 21 de janeiro, o ônibus estará no Festival Caranguejo, ao lado do campo de futebol do Balneário Shangrilá, no município de Pontal do Paraná.  Equipado com maquetes e painéis, o ônibus EcoExpresso Sanepar é uma opção de lazer educativo para veranistas e moradores do Litoral. As visitas são gratuitas. 

Os visitantes podem observar todo o caminho que a água percorre desde a captação na natureza até o retorno ao rio, como esgoto tratado. Os cuidados para destinar os resíduos sólidos e a geração de energia elétrica a partir do processo de tratamento de esgoto também são temas da visita. No local, dois socioeducadores explicam todos os temas e os detalhes do material exposto.